Classificando as 10 piores classes de draft da NFL de todos os tempos – as maiores apreensões

O NFL Draft serve como evento anual de recrutamento de jogadores da liga, permitindo que as equipes selecionem os melhores talentos do mundo do futebol universitário. Embora tenha sido uma fonte de estrelas e de desempenho sólido, também viu sua cota de aulas de draft decepcionantes.

Neste artigo, exploraremos as dez piores classes de Draft da NFL de todos os tempos, discutindo o que as tornou infames e os impactos que tiveram nas equipes envolvidas.

10. Classe Draft da NFL de 2009

2009 NFL Draft
Fonte: bucsnation.com

NFL Draft Class é notório por sua alta taxa de reprovações, deixando times e torcedores frustrados e decepcionados com a falta de jogadores de alta qualidade, especialmente em posições cruciais.

Rascunho cheio de busto

Os jogadores convocados estavam repletos de inconsistência, falta de ética de trabalho e falta de inovação, diminuindo a qualidade geral da liga durante sua gestão. Os impactos imediatos e duradouros dessas escolhas fracassadas foram sentidos em várias franquias que lutaram para se recuperar de seus erros no draft.

Bustos notáveis

  • Aaron Curry (LB), apontado como a “escolha mais segura” no draft, foi escolhido em quarto lugar geral pelo Seattle Seahawks, mas não conseguiu causar nenhum impacto significativo.
  • Jason Smith (OT), escolhido em segundo lugar geral pelo St. Louis Rams, lutou contra lesões e baixo desempenho, sendo titular em apenas 26 jogos em sua carreira na NFL.

9. Classe Draft da NFL de 1991

rascunho favorito

O rascunho de 1991 estava repleto de candidatos que nunca atingiram seu potencial. Esta classe ficou na história como uma das mais infrutíferas, rendendo um número excepcionalmente baixo de Pro Bowlers e All-Pros.

Falta de Elites

As equipes entraram neste draft com o objetivo de encontrar jogadores que pudessem se tornar a cara de suas franquias. No entanto, a escassez de talentos transformacionais de elite fez com que muitas equipes deixassem o draft com mais perguntas do que respostas e escalações cheias de jogadores comuns.

Potenciais não realizados

  • Dan McGwire (QB), selecionado em 16º lugar geral pelo Seattle Seahawks, encerrou sua carreira com apenas duas partidas e um único passe para touchdown.
  • Todd Marinovich (QB), escolhido em 24º lugar geral pelo Los Angeles Raiders, lutou com problemas de abuso de substâncias e disputou apenas oito jogos da NFL.

8. Classe Draft da NFL de 2013

2013 NFL Draft
Fonte: sbnation.com

A turma de 2013 é lembrada pela falta de estrelato e por ser um terreno fértil para a mediocridade, tendo pouquíssimos jogadores que corresponderam às avaliações pré-draft.

A busca por estrelas

As equipes, munidas de extensos relatórios de observação e grandes esperanças, mergulharam neste rascunho esperando descobrir as próximas grandes novidades. Em vez disso, eles encontraram uma classe carente de talentos de elite, com muitas escolhas de alto draft falhando em causar impactos significativos na liga.

Desilusões e julgamentos errados

  • Luke Joeckel (OT), conquistado em segundo lugar geral pelo Jacksonville Jaguars, foi atormentado por lesões e mau jogo, durando apenas quatro temporadas na NFL.
  • Dee Milliner (CB), selecionado em nono lugar geral pelo New York Jets, lutou contra lesões e inconsistências, jogando apenas 21 partidas em três temporadas.

7. Classe Draft da NFL de 2002

Classe de draft da NFL de 2002
Fonte: bleacherreport.com

A turma de draft de 2002 teve equipes otimistas em relação à aquisição de talentos para mudar a franquia. Porém, esta turma acabou sendo uma decepção colossal, caracterizada por escolhas altas que tiveram pouco ou nenhum impacto no campeonato.

Performances normais

Os supostos jogadores de destaque desta classe não conseguiram trazer a mudança transformadora que se esperava deles, proporcionando desempenhos abaixo da média que pouco fizeram para melhorar as suas respectivas equipas. Esta falta de jogadores impactantes afetou significativamente o equilíbrio competitivo neste período.

Bustos em abundância

  • David Carr (QB), a primeira escolha geral do Houston Texans, não correspondeu às expectativas, sendo demitido um recorde de 76 vezes em sua temporada de estreia.
  • Mike Williams (OT), a quarta escolha geral do Buffalo Bills, não justificou sua alta seleção, lutando com consistência e motivação ao longo de sua carreira.

6. Classe Draft da NFL de 1989

Classe de draft da NFL de 1989
Fonte: dallascowboys.com

Apesar da empolgação em torno do Draft de 1989, ele acabou sendo um dos piores, marcado por inúmeras escolhas de baixo desempenho e famoso por sua falta de profundidade e impacto nos jogadores.

Falta de Profundidade

Além das primeiras rodadas, a turma de 1989 carecia de talentos substanciais, deixando as equipes lutando por jogadores de impacto nas rodadas posteriores. A escassez de jogadores produtivos nas rodadas intermediárias e finais dificultou que as equipes encontrassem valor e construíssem escalações competitivas.

Expectativas frustradas

  • Tony Mandarich (OT), selecionado em segundo lugar geral pelo Green Bay Packers, foi rotulado de “The Incredible Bust” devido ao seu jogo ruim e problemas fora de campo.
  • Steve Walsh (QB), apesar de uma carreira universitária de sucesso, não conseguiu traduzir seu sucesso para a NFL, saltando entre seis times em 11 temporadas.

5. Classe Draft da NFL de 1999

Classe de draft da NFL de 1999

A turma de 1999 é um estudo de caso de má gestão e mau scouting, com várias equipas a tomarem decisões lamentáveis ​​que as assombrariam durante anos, simbolizando os perigos da má avaliação.

Oportunidades Perdidas

As equipes ficaram deslumbradas com os supostos jogadores de teto alto, ignorando falhas fundamentais e sinais de alerta. As consequências desses erros de julgamento foram sentidas durante anos, com as equipes restantes lamentando as oportunidades perdidas de adquirir talentos reais disponíveis no draft.

Erros de rascunho

  • Akili Smith (QB), escolhido em terceiro lugar geral pelo Cincinnati Bengals, tornou-se um fracasso monumental, com apenas cinco passes para touchdown em quatro temporadas.
  • Cade McNown (QB), selecionado em décimo segundo lugar geral pelo Chicago Bears, durou apenas duas temporadas como titular, lançando mais interceptações do que touchdowns.

4. Aula Suplementar de Projeto de 1984

Aula Suplementar de Projeto de 1984

A classe Supplemental Draft de 1984 é conhecida por sua falta de jogadores notáveis ​​e é destacada pela tentativa desesperada da NFL de competir com a USFL por talentos, levando a uma classe caracterizada pela inadequação e arrependimento.

Uma Batalha de Ligas

A disputa contínua entre a NFL e a USFL resultou em um pool de talentos diluído, com os times lutando para adquirir jogadores que mal conseguiam atender aos padrões do futebol profissional. Essa classe lutou para produzir jogadores capazes de transformar franquias ou contribuir significativamente para o sucesso de seus times.

Seca de talentos

  • Mike Rozier (RB), vencedor do Heisman Trophy, não conseguiu replicar seu sucesso na faculdade, encerrando sua carreira na NFL com medíocres 4,462 jardas corridas.
  • Steve Young (QB), embora considerado um grande jogador em retrospectiva, inicialmente teve dificuldades significativas, em parte devido à inépcia da classe de draft ao redor.

3. Classe Draft da NFL de 1972

Classe de draft da NFL de 1972

A turma de 1972 carecia dos talentos explosivos e transformadores necessários para elevar a liga. As equipes ficaram vasculhando um poço de mediocridade, em busca de joias onde não havia nenhuma.

A busca pelo talento

As equipes lutaram para encontrar jogadores que pudessem fazer contribuições significativas. A falta de jogadores de alto impacto significou que as franquias foram incapazes de construir em torno de peças novas e fundamentais, levando à estagnação no desenvolvimento e no progresso em toda a liga durante este período.

Ausência de jogadores de impacto

  • Walt Patulski (DE), escolhido primeiro no geral pelo Buffalo Bills, durou apenas quatro temporadas na NFL, conseguindo apenas 5 sacks em sua carreira.
  • Lionel Antoine (OT), um suposto pilar do Chicago Bears, viu sua carreira atolada em inconsistências, jogando apenas 31 partidas em sete temporadas.

2. Classe Draft da NFL de 2007

Classe de draft da NFL de 2007
Fonte: bucsnation.com

A turma de draft de 2007 veio com grandes expectativas, mas provou ser um antro de ineficiência e pouco profissionalismo, deixando as equipes de joelhos com desempenhos ruins e problemas fora de campo.

Escolhas nada assombrosas

Muitas escolhas desta classe demonstraram falta de vigor e inovação em sua jogabilidade. Não apenas seu desempenho em campo foi abaixo do esperado, mas sua incapacidade de se adaptar ao mundo profissional deixou as equipes arrependidas de suas escolhas. O dano à reputação das equipes envolvidas foi palpável e a classe foi rapidamente considerada um desastre.

Decepções significativas

  • JaMarcus Russell (QB), a primeira escolha geral dos Oakland Raiders, teve uma carreira sombria, marcada por má ética de trabalho, problemas de peso e falta de liderança.
  • Brady Quinn (QB), considerado um salvador em potencial do Cleveland Browns, não conseguiu corresponder ao hype, registrando apenas 12 touchdowns em toda a sua carreira.

1. Classe Draft da NFL de 1992

Classe de draft da NFL de 1992
Fonte: disdisbuy.com

O draft de 1992 é sinônimo de oportunidades perdidas e potencial não realizado. Essa turma foi notável não pelos talentos que produziu, mas sim pela série de falências, atrasando várias franquias por anos.

Visão geral

Esta aula prometia uma miríade de futuras estrelas, com equipas ansiosas por fazer escolhas que revolucionariam as suas fortunas. Infelizmente, o que se seguiu foi uma série de desempenhos ruins e potencial desperdiçado. A falta de jogadores de destaque levou à falta de intensidade competitiva em muitas partidas desse período, ofuscando as poucas faíscas que existiam.

Falhas notáveis

  • Steve Emtman (DE), escolhido como primeira escolha geral pelo Indianapolis Colts, viu sua carreira marcada por lesões, jogando apenas 18 partidas pelos Colts.
  • David Klingler (QB), a sexta escolha do Cincinnati Bengals, durou seis temporadas na NFL, lançando 16 touchdowns e 22 interceptações.

Perguntas frequentes

Como as classes preliminares são avaliadas para serem classificadas como as piores?

As classes draft geralmente são avaliadas com base no desempenho, longevidade na carreira e impacto dos jogadores selecionados.

Uma classe considerada uma das piores normalmente tem um grande número de jogadores que tiveram desempenho inferior em relação à sua posição no draft, tiveram carreiras de curta duração devido a problemas de desempenho ou fora de campo e não tiveram impacto ou contribuições significativas para suas equipes.

Há alguma classe de recrutamento que possa ser resgatada depois de inicialmente ser considerada ruim?

Sim, as percepções das classes draft podem evoluir com o tempo, à medida que os jogadores se desenvolvem e as escolhas finais excedem as expectativas.

Uma classe de recrutamento inicialmente considerada pobre pode mais tarde ser vista de forma mais favorável se os jogadores melhorarem significativamente e fizerem contribuições substanciais para as suas equipas ou se os jogadores inicialmente ignorados emergirem como jogadores de destaque.

Como as classes de draft ruins afetam a competitividade geral da NFL?

Aulas de draft ruins podem levar a uma diminuição na qualidade geral e na competitividade da liga. As equipes que dependem de escolhas de draft para reconstruir ou melhorar suas escalações podem ter dificuldades se esses jogadores não atenderem às expectativas, levando a períodos prolongados de desempenho inferior dessas equipes.

Isso pode levar à falta de paridade e equilíbrio competitivo dentro da liga, impactando o envolvimento e o interesse dos torcedores.

Como as mudanças nos métodos de aferição e avaliação impactaram a qualidade das aulas preliminares ao longo dos anos?

Os avanços nos métodos de observação e avaliação, incluindo análise de dados melhorada, métricas de desempenho mais sofisticadas e avaliações psicológicas melhoradas, ajudaram as equipas a tomar decisões preliminares mais informadas.

Essas melhorias geralmente levaram a melhores ajustes entre jogadores e times e avaliações mais precisas do potencial de um jogador, reduzindo a probabilidade de eliminações de alto perfil e melhorando a qualidade geral das classes de draft.

Alguma das piores classes de draft produziu jogadores do Hall da Fama?

Sim, mesmo as classes draft consideradas entre as piores às vezes produziram jogadores no Hall da Fama. Uma classe geral pobre não impede o surgimento de jogadores individuais de destaque que terão carreiras ilustres e ganharão honras no Hall da Fama.

Estes jogadores são muitas vezes exceções dentro das suas classes e sublinham a imprevisibilidade inerente ao processo de seleção.

A má gestão e o coaching podem contribuir para fazer com que uma turma preliminar pareça pior do que é?

Com certeza, más decisões de gestão, desenvolvimento inadequado dos jogadores e sistemas de treinamento inadequados podem prejudicar o progresso e o desempenho dos jogadores convocados, potencialmente fazendo com que uma classe convocada pareça pior do que realmente é.

Nesses casos, os jogadores podem ter um desempenho insatisfatório por estarem no sistema errado ou por não terem o apoio e o desenvolvimento necessários, em vez de por falta de talento ou potencial.

Palavras finais

As aulas de Draft da NFL tiveram seu quinhão de estrelas e fracassos, mas as listadas acima se destacam por seu número esmagador de decepções. Embora cada classe preliminar tenha o seu contexto e conjunto de desafios únicos, o traço comum entre estas piores classes preliminares é uma convergência de julgamentos errados, potencial não realizado e expectativas não satisfeitas.

Esses rascunhos servem como um lembrete claro das incertezas e complexidades inerentes ao olheiro e à avaliação dos jogadores, ressaltando os altos riscos e pressões que os times da NFL enfrentam em sua busca pela próxima grande estrela.

Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Vamos supôr que você está ok com isso, mas pode optar por não aceitar se desejar. ACEITAR